26/02/2020 11:28:00 - Atualizado em 26/02/2020 12:01:00

Ator pornô brasileiro é preso na Austrália acusado de se masturbar em frente a uma escola

Redação/RedeTV!

Fabricio Da Silva Claudino, de 31 anos, também responde a processo por divulgar vídeo de sexo com um ex-namorado sem consentimento


Fabricio Da Silva Claudino, de 31 anos, também responde a processo por divulgar vídeo de sexo com um ex-namorado sem consentimento - (Foto: Reprodução)

Um brasileiro de 31 anos está preso em Sidney, na Austrália, por se masturbar em lugares públicos - como por exemplo, em frente a uma escola. Fabricio Da Silva Claudino, que trabalhava como ator pornô amador em uma plataforma online, também é acusado de por divulgar, sem consentimento, uma filmagem em que fazia sexo com um ex-namorado.

As informações da emissora pública australiana SBS. Segundo o canal, Fabrizio trabalhava como ator pornô na plataforma de vídeo OnlyFans, em que assinantes podem pagar atores de pornôs amadores para que tenham acesso a vídeos de sexo explícito.

Em setembro de 2019, ele foi preso após compartilhar em seu perfil no site um vídeo de quatro minutos tendo relações sexuais com um ex-namorado australiano. O rapaz, então companheiro do brasileiro, se reconheceu na gravação pelas suas tatuagens, visto que o seu rosto foi omitido.

"Eu me senti enojado quando reconheci meu corpo e depois meu rosto. Eu não conseguia acreditar", disse a vítima para a ABC, outra rede de televisão do país. A Polícia Federal da Austrália, então, prendeu Fabricio no aeroporto de Sidney, após ele retornara de uma viagem de Melbourne.

Preso por se masturbar em frente a uma escola

De acordo com as autoridades australianas, o brasileiro já trabalhou como comissário de bordo da Emirates Flights e vivia no país com um visto de turista. Nas redes sociais, o ator pornô amador tinha 30 mil seguidores no Instagram e mais de 100 mil no Twitter.

Atualmente, Fabrizio respondia em liberdade até ser pego se masturbando em frente a uma escola. Enquanto preso, o promotor da polícia, Chris Manning, defendeu que o brasileiro ficasse na cadeia, pois a divulgação de vídeos de sexo para download pago — e sem consentimento — seria "a única maneira de ele se sustentar na Austrália".

A defesa do ator pornô solicitou que ele deixasse a prisão, pois não haveria "provas o suficiente" de que ele teria feito ou publicado conteúdo pornográfico em locais públicos. A advogada dele ainda disse que medidas como proibição de acesso às mídias sociais seria um meio de dissuadir o homem de praticar esse tipo de crime enquanto aguarda julgamento.

A Justiça local, no entanto, afirma que o brasileiro é "um sério risco para a comunidade" e "ameaça à segurança de suas vítimas".

O caso retorna nesta quarta-feira (26) a julgamento e Fabrizio pode pegar pena até cinco anos de prisão por "Revenge porn" - ou pornografia de vingança - e outros crimes. A justiça australiana não arbitrou fiança ao brasileiro e ele não poderá responder o processo em liberdade.

Estação policial de Surry Hills, em Sidney (Austrália), local onde brasileiro de 31 anos acusado de se masturbar em frente a escola está preso - (Foto: Reprodução/Google Maps)

Veja também!

>>> Brasil continua com quatro casos suspeitos de coronavírus

>>> Com mais 23 assassinatos, mortes no Ceará chegam a 170

>>> Bancos passam a cobrar dólar do dia da compra com cartão

Assista aos vídeos da RedeTV! no YouTube e inscreva-se no canal

Recomendado para você

Comentários