no RedeTV News

Assista à entrevista exclusiva com o presidente eleito Jair Bolsonaro


Publicada:29/10/2018 19:32:00
Redação/RedeTV!

Presidente eleito no domingo (28), Jair Bolsonaro afirmou em entrevista exclusiva ao RedeTV News exibida nesta segunda-feira (29) que irá priorizar a reforma da Previdência para tentar aprová-la ainda neste ano e disse que pretende "governar pelo exemplo".

Eleito com 55% dos votos válidos, Bolsonaro garantiu ao repórter Eric Klein que sua primeira ação de governo já começará antes de 1º de janeiro - quando Michel Temer passará a Presidência da República ao sucessor. "Minha primeira medida é antes de assumir", declarou o presidente eleito. "Semana que vem estaremos em Brasília buscando aprovar alguma coisa da reforma da Previdência e evitando pautas que possam trazer mais despesas num orçamento que já está estourado. Mas no ano que vem, [a meta] é nomear uma equipe de pessoas com competências técnicas e com iniciativa para que nós possamos então buscar maneiras de tirar o Brasil da situação crítica que se encontra".

Com as reformas, o presidente eleito acredita que irá melhorar a economia e dar mais oportunidades aos empreendedores: "A proposta da equipe econômica é facilitar a vida do empreendedor, do patrão no Brasil. Se nos dermos uma folga tributária e tratarmos o patrão como uma pessoa que realmente produz, ele pode ampliar sua margem de lucro via mais empregos e todos nós passaremos a ganhar com isso aí".

Em relação ao legado que quer deixar após os quatro anos de governo, Bolsonaro diz considerar todas as áreas importantes, mas que com "uma economia bem ajustada, a questão da violência por si só vai lá para baixo", e acrescentou: "Nossa grande bandeira será governar pelo exemplo, respeitando a todos e ser escravos da Legislação. Errou, paga - não interessa se é do governo ou se não é. Acho que esse é o maior legado que a gente pode deixar".

Sobre a flexibilização do porte e da posse de armas de fogo, ele afirmou que simplesmente quer "dar o direito ao cidadão de bem de ter a posse de arma dentro da sua casa": "Não podemos ter essa política de desarmar o cidadão de bem e deixar o bandido muito bem armado". Além disso, ele quer garantir que a pessoa que atire para se defender não seja punida por isso: "E eu quero o excludente de ilicitude".

Escolha de 57 milhões de eleitores que foram às urnas no domingo, Bolsonaro disse que não apenas a escolha pelo novo motivou sua vitória, mas também a confiança do eleitorado em sua trajetória política: "A população se cansou da velha política e quer alguem diferente... mas não por ser diferente, é por que confiam em mim".

Notícias Relacionadas

Comentários