COLUNISTAS
 »
   
CONEXO CHINA
Rodrigo Luis reside em Shenzhen desde 2005. O empresrio fluente em mandarim e detalha nesta coluna tudo o que envolve a vida de um brasileiro na China.
 
 
1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
postado em 01/05/2020 20h36
Milhares de estudantes voltam s aulas em Shenzhen aps testarem negativo para a Covid-19
Os alunos são obrigados a usar máscaras faciais


(Foto: Divulgação/Futian Qiaoxiang Foreign Languages School)

Mais de 143 mil estudantes do ensino fundamental e médio voltaram às aulas em Shenzhen, na China, nesta semana após testarem negativo para o novo coronavírus (Covid-19). Os alunos são obrigados a usar máscaras faciais e a passar por verificações de temperatura corporal antes de entrar nas instalações das escolas. 

Sabão líquido para as mãos e álcool gel foram colocados em áreas públicas para os estudantes e professores lavarem as mãos. Na entrada dos campus, os alunos mantiveram distância na fila.

No departamento de ensino médio da Escola de Línguas Estrangeiras de Shenzhen, adesivos foram colocados nas entradas e no chão da cafeteria para orientar os alunos no caminho para as salas e lembrá-los de praticar o distanciamento social ao fazer fila para comer. As mesas também foram separadas para aumentar a distância entre os estudantes.

Além de medidas preventivas rigorosas, a saúde psicológica dos alunos também é um foco importante para muitas escolas, dado que o longo período de estudos online e o autoaprendizado podem ter causado várias formas de ansiedade entre os estudantes e os pais.

“Aprender em casa exige que os alunos tenham forte autodisciplina. Nem todo aluno pode se adaptar à mudança, fazendo com que os professores organizem suas atividades diárias de aprendizagem e organizem tudo sozinhos. Já incluímos lições para fornecer assistência psicológica aos alunos e continuaremos fazendo isso”, disse o professor de psicologia da Escola de Línguas Estrangeiras de Shenzhen, Xu Jingyu.
What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 26/04/2020 18h12
China prepara retomada das aulas
Wuhan não tem mais infectados pela Covid-19


O Ministério da Educação da China realizou quatro videoconferências nos últimos dias para preparar a retomada das aulas nas escolas de 31 províncias. Diversas medidas serão tomadas para evitar que os alunos possam infectar uns aos outros pelo novo coronavírus (Covid-19).

O foco da prevenção e controle escolar é evitar a transmissão secundária. Se houver casos de segunda, terceira ou quarta geração na escola, toda a escola corre um grande risco.

As salas de aula precisarão ter muita circulação de ar e os alunos com uma boa distância entre eles, principalmente nos restaurantes. Nestes locais, as escolas poderão tomar medidas como dividir os horários das refeições e isolar os assentos.

Zhang Wenhong, chefe do comitê de especialistas do coronavírus em Xangai, disse que, nos próximos meses, haverá muitos portadores assintomáticos na sociedade chinesa. "Existem riscos, mas não acontecem todos os dias. Neste contexto temos que entrar no estágio de normalizar a luta contra a epidemia", afirmou ele.

Epicentro inicial

De acordo com Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde, a cidade chinesa de Wuhan, epicentro inicial do novo coronavírus, agora não tem mais pacientes internados com a doença em seus hospitais. "As últimas notícias são que, em 26 de abril, o número de novos pacientes com coronavírus em Wuhan estava em zero graças aos esforços conjuntos de Wuhan e equipe médica de todo o país", disse ele.

Wuhan fica na província de Hubei, que retomará as atividades do ensino médio a partir de 6 de maio. Já Henan retomou as aulas no início de abril. A capital Pequim, por sua vez, continua com as escolas fechadas desde janeiro. Até mesmo o Gaokao, espécie de Enem da China, foi adiado para 7 de julho.
What do you want to do ?
New mail
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 30/03/2020 12h08
Ns, estrangeiros, estamos sendo discriminados pelos chineses
As pessoas não deixam que eu entre nos locais porque eu sou estrangeiro


Shenzhen atualmente é uma cidade muito segura, já superamos a epidemia. Apenas temos 32 casos de novo coronavírus (covid-19) atualmente, que são chamados de 'imported virus', ou seja, são pessoas que moravam fora do país, voltaram e por infelicidade estão infectadas e sendo tratadas nos hospitais.

O que vem acontecendo com os estrangeiros é uma discriminação estranha por parte dos chineses. Eles agora nos discriminam por esses casos de imported virus e é uma coisa que incomoda. 

Há 10 dias ou mais venho sendo discriminado enquanto caminho para o meu escritório. Escuto muitos comentários do tipo: 'Olha lá o estrangeiro, olha lá o laowai'. Laowai é uma gíria que significa estrangeiro. E muitos deles com olhares julgando como se eu estivesse contaminado. É uma coisa estranha para nós, eu principalmente que moro aqui há 10 anos.

Atualmente temos algumas regras ainda para sair nas ruas. O uso de máscaras é obrigatório, a verificação de temperatura para entrar nos locais, o QR Code que você tem que ter no celular mostrando que você não saiu do país durante o período. Ou que você entrou no país e já cumpriu a sua quarentena. Temos que ter esse QR Code no celular, onde somos escaneados pela polícia e autoridades.

Se entro no elevador as pessoas saem, ninguém senta do meu lado no ônibus e metrô, como se eu fosse uma ameaça hoje. Mesmo com o QR Code mostrando que estive aqui durante todo esse processo da epidemia e que passei pelos mesmos processos sanitários que todos eles, está muito difícil para que eu possa entrar nos locais, as pessoas não deixam que eu entre nos locais porque eu sou estrangeiro, porque eu sou laowai.

Claro que pode ser uma condição passageira, mas sofrer discriminação não é legal e principalmente quando você não tem culpa, quando você também é vítima desse vírus como todos eles são. 

Queria dividir isso com vocês, reforçar ao Brasil que esse vírus vai passar por aí, que vocês vão ter que ter muita paciência para entender e aceitar o isolamento social. 


What do you want to do ?
New mail

Veja também!

>>> SP investiga histórico clínico de 2 jovens que morreram por covid-19

>>> Coronavírus: BNDES anuncia R$ 2 bilhões de crédito para área da saúde

>>> Itália registra queda no número de mortes por coronavírus em 24h

 

Assista aos vídeos e inscreva-se no canal da RedeTV! no YouTube

What do you want to do ?
New mail
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 29/03/2020 15h22
Voltem a trabalhar no Brasil, mas com algumas precaues
Máscara e álcool em gel são itens essenciais


O comércio aqui em Shenzhen, na China, também fechou por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), com exceção de algumas farmácias. Foi bem difícil. A economia ainda está voltando ao normal e as pessoas estão voltando a trabalhar. Todos tiveram suas perdas e seus problemas. Foi um mal necessário.

No Brasil, como está sendo proposta a quarentena até o dia 6 de abril, depois parece que vão liberar para que as pessoas voltem a trabalhar, minha sugestão é a seguinte: Voltem a trabalhar, mas com algumas precauções. A máscara, por exemplo, é uma delas. Limpar as mãos, álcool em gel, enfim... 

Sei que está difícil encontrar máscaras aí no Brasil, mas algumas empresas estão fazendo importações e logo mais o mercado estará abastecido. Tenho certeza disso
What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail

Veja também!

>>> Itália registra queda no número de mortes por coronavírus em 24h

>>> Coronavírus: Espanha tem 838 mortes em 24 horas e bate novo recorde

>>> Ministério alerta para risco do uso de cloroquina sem indicação médica

 

Assista aos vídeos e inscreva-se no canal da RedeTV! no YouTube

What do you want to do ?
New mail
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 23/03/2020 09h53
Coronavrus agora est controlado na China, mas precisamos usar mscaras e medir a temperatura
Máscara é um item obrigatório para andar na rua


Quatro meses depois do primeiro caso em Wuhan, o coronavírus (Covid-19) agora está controlado aqui na China. Moro em Shenzhen e estamos podendo sair de casa, tendo uma vida basicamente normal como antes, mas claro que ainda com muitas restrições.

A máscara é um item obrigatório para andar na rua e em todos os locais que quisermos entrar é preciso fazer a verificação de temperatura. O que posso falar para quem está no Brasil é que adotem a quarentena. O vírus foi controlado na China desta forma.

No início foi muito complicado porque ninguém conhecia o vírus e as medidas foram muito extremas. Talvez no Brasil seja um pouco mais tranquilo porque já se conhece o vírus, já se sabe como ele se espalha.

Aproveitem este período de quarentena para aproveitar a família, para deixar a tecnologia de lado e relembrar velhas brincadeiras, para fazer novos pratos de comida. 

What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail

Veja também!

>>> Bolsonaro diz que Brasil testará cloroquina contra o coronavírus

>>> Coronavírus: João Doria decreta quarentena de 15 dias no estado de SP

>>> Itália tem recorde de quase 800 mortes pelo coronavírus em um único dia

 

Assista aos vídeos e inscreva-se no canal da RedeTV! no YouTube 

What do you want to do ?
New mail
What do you want to do ?
New mail
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 30/12/2019 13h11
China promete eliminar a pobreza nas reas rurais at o fim de 2020
A quarta sesso plenria do 19 Comit Central do Partido Comunista da China reafirmou a promessa do pas em eliminar a pobreza nas reas rurais at o fim de 2020 leia mais
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 20/12/2019 06h51
China o terceiro pas que mais atrai estudantes estrangeiros
China está atrás apenas de países de língua inglesa


(Foto: Divulgação)

O Institute of International Education and World Innovation Summit for Education divulgou dados que mostram que a China é o terceiro país que mais atrai estudantes estrangeiros em todo o mundo. De acordo com o documento, 10% das pessoas que fazem intercâmbio vão para o país asiático.

Vale lembrar que Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá e Nova Zelândia, países de língua inglesa, hospedam quase metade de todos os estudantes internacionais. Assim como a China, Rússia e Holanda crescem a cada ano no quesito.

"Na China, que aspira receber meio milhão de estudantes internacionais até 2020 (e está próximo de atingir esse objetivo), os estudantes internacionais estão se beneficiando de novas oportunidades para realizar estágios, caminhos suavizados para autorizações de residência e uma variedade de programas que permitem aos graduados permanecer no país para trabalhar", relata o levantamento do instituto.

A crescente influência e globalização da China impulsiona o crescimento de estudantes estrangeiros no país asiático. Com exceção de um número considerável de estudantes dos Estados Unidos, a maioria dos estudantes internacionais na China são da Coreia do Sul, Tailândia, Paquistão e Índia, de acordo com o relatório. No geral, os estudantes da região compreendem quase um quinto de todos os estudantes internacionais no país, com os últimos anos registrando um salto em estudantes indianos para estudos médicos e entre estudantes africanos, completou o documento.

Segundo o Ministério da Educação, a própria China continua sendo a principal fornecedora mundial de estudantes internacionais, com mais de 662 mil chineses indo para o exterior para estudar em 2018, um aumento de mais de 8% em relação ao ano anterior.
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 13/12/2019 23h26
Maior projeto de desvio de gua do mundo beneficia mais de 120 milhes de pessoas na China
Rio Yangtze é o maior da China


(Foto: Divulgação/Ministério de Recursos Hídricos da China)

O vice-ministro de Recursos Hídricos da China, Jiang Xuguang, afirmou nesta semana que o país concretizou o maior projeto de desvio de água do mundo ao transferir quase 30 bilhões de metros cúbicos de água do Rio Yangtze para mais de 40 cidades e 260 municípios do norte da China, beneficiando mais de 120 milhões de pessoas.

Inicialmente proposta pelo falecido líder chinês Mao Zedong há mais de 70 anos, a primeira fase da rota leste foi posta em operação em novembro de 2013. A rota intermediária, que começou a fornecer água em dezembro de 2014, chamou mais a atenção devido ao seu papel de levar água para a capital Pequim.

De acordo com Ministério de Recursos Hídricos da China, mais de 73% do abastecimento de água das torneiras de Pequim vem do projeto, beneficiando mais de 12 milhões de habitantes, quase metade da população total da cidade. Na vizinha Tianjin, o projeto fornece toda a água usada em 14 distritos.

Jiang Xuguang disse em entrevista coletiva que a "água do sul se tornou uma tábua de salvação para o abastecimento de água de muitas cidades. O projeto produziu benefícios sociais e ecológicos notáveis, incluindo seu papel de apoio no desenvolvimento do cluster de Pequim-Tianjin-Hebei e da nova área de Xiongan".

O diretor do departamento de planejamento de desenvolvimento do ministério, Shi Chunxian, salientou que as autoridades estão intensificando os esforços para avançar na construção de novos desvios.
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 09/12/2019 21h04
Rob chins percorre 345 metros no lado oculto da Lua
Yutu-2 está no lado oculto da Lua desde o dia 3 de janeiro 


(Foto: Divulgação)

O explorador lunar chinês Yutu-2 já percorreu 345 metros no lado oculto da Lua desde o dia 3 de janeiro deste ano. De acordo com o Centro de Exploração Lunar e com o Programa Espacial da Administração Espacial Nacional da China, a exploração científica desse território até então desconhecido só é possível graças aos engenheiros espaciais que projetaram a rota do robô com muito cuidado.

Isto porque o ambiente geológico é muito complicado e o terreno irregular. O explorador deverá continuar viajando no lado oculto da Lua de maneira lenta, mas constante, com o objetivo de realizar mais descobertas científicas.

Vale lembrar que um dia lunar é igual a 14 dias na Terra, sendo que a noite lunar tem a mesma duração, e que o explorador lunar chinês Yutu-2 entra em modo de suspensão durante a noite lunar devido à falta de energia solar.
winpoint.limited@gmail.com
 
 
postado em 29/11/2019 16h24
Pequim pede compartilhamento de vagas na cidade
Intuito é melhorar a gestão das ruas da cidade


(Foto: Divulgação)

Uma declaração divulgada pela comissão de transporte de Pequim, capital da China, pede que empresas locais e comunidades residenciais compartilhem lugares de estacionamento com base em suas necessidades em diferentes momentos do dia. 

Neste esforço para melhorar a gestão das ruas da cidade, as empresas locais e comunidades residenciais devem definir taxas de estacionamento e períodos assinando contratos. Enquanto isso, os governos distritais podem recompensar as empresas que oferecem espaços aos moradores vizinhos à noite. Além disso, as áreas de estacionamento em prédios residenciais devem ser abertas a outros veículos depois de atenderem às necessidades de seus próprios inquilinos. 

Alguns distritos de Pequim estão trabalhando para diminuir as dificuldades de estacionamento este ano, servindo de ponte para as comunidades residenciais e as empresas. Sun Guangjun, diretor da Rua Desheng, disse que faltam 4 mil vagas na região. Existem 22 mil vagas de estacionamento na Rua Desheng, enquanto a demanda é de cerca de 26 mil.

A autoridade da rua ajudou empresas da região a trocar vagas de estacionamento com comunidades residenciais. Assim, os residentes têm permissão para estacionar seus carros nos espaços das empresas à noite, enquanto durante o dia os funcionários da empresa podem estacionar em espaços nas comunidades.

O distrito de Fengtai seguiu orientações semelhantes nos últimos meses. Fengtai possui 814 estacionamentos comerciais com 262 mil vagas. Segundo a autoridade distrital, há uma escassez de mais de 100 mil vagas de estacionamento, principalmente à noite.

Assim, o distrito contratou uma empresa profissional de gerenciamento de estacionamento para ajudar, construindo uma plataforma para a troca de vagas entre comunidades residenciais e as empresas que possuem áreas de estacionamento.

Além disso, os dados do espaço de estacionamento serão enviados on-line para que os residentes possam obter informações em tempo real, proporcionando mais comodidade para quem procura estacionar seus carros.

Atualmente, existem cerca de 60.000 vagas de estacionamento nas estradas da cidade. Para regular melhor o estacionamento na cidade, todos os distritos de Pequim adotarão um sistema de cobrança eletrônica a partir do domingo.

A quantidade de tempo que um carro está estacionado na rua será monitorada por um dispositivo eletrônico aéreo e, em seguida, o motorista será cobrado por meio de um aplicativo. Os motoristas podem pagar através do aplicativo ou pessoalmente com dinheiro em um centro de serviços do governo.
winpoint.limited@gmail.com
 
 
1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14