acusado de violência doméstica

Naldo ainda pode ser preso por agressão contra a mulher, explica promotora

Redação/RedeTV!

(Foto: reprodução/Instagram)

Naldo ainda pode ser preso pela agressão contra a mulher, Ellen Cardoso, a Mulher Moranguinho. A afirmação foi feita pela promotora Eliana Passarelli em entrevista ao programa “Melhor Pra Você” desta quinta-feira (7).

“Em relação à lesão, não houve prisão em flagrante. Então, nesse momento, ele ainda está sendo investigado e poderá ser preso, inclusive em função da Lei Maria da Penha pela agressão sofrida pela esposa. Isso vai depender das lesões que ela sofreu, do grau de lesões que ela sofreu”, explicou.

O cantor pode ser detido, inclusive, caso se aproxime de Ellen. “Já existe uma medida protetiva em relação a isso e ele não pode chegar perto dela. Se ele quebrar essa medida protetiva, novamente ele poderá ser preso preventivamente pela Lei Maria da Penha”, acrescentou.

A promotora destacou que a acusação de agressão não poderá ser retirada se o exame do Instituto Médico Legal comprovar que houve lesão corporal. “Ele será processado pela lesão corporal nos termos da Maria da Penha. O que significa isso: que a pena é exatamente a mesma, mas com um acréscimo, e pode ser até submetido a tratamento psiquiátrico, psicológico em razão dessa agressão”.

Passarelli comentou também o fato de Ellen ter saído de casa com sua filha com Naldo. “Ele deverá deixar o lar e ela permanecer. Ele deixa e ela entra. Porque a medida protetiva e a Lei Maria da Penha procuram exatamente trazer o conforto e a comodidade para a mulher que foi agredida. Não teria sentido ela sair de casa e ele permanecer na casa do casal. É o contrário. Ele sai e ela fica”, disse.

De acordo com a promotora, mesmo após a denúncia, o cantor ainda pode ver a filha. “Pode porque a menina não entrou na medida protetiva. Eu acho ainda que poderá haver um desdobramento em relação às visitas da filha, mas a mãe nunca poderá estar presente em função da medida protetiva”. 

Eliana Passarelli também detalhou o fato de Naldo não ter sido preso pela agressão, mas por uma arma ilegal encontrada pela polícia. “Ele foi preso em flagrante por uma posse de arma que é de uso restrito. O que significa isso: que é mais grave, com pena de três a seis anos, e ele pagou uma fiança arbitrada por um juiz porque, como é uma arma de uso restrito, a fiança não fica a cargo do delegado. Fica a critério do Poder Judiciário. Se ele de alguma forma quebrar a fiança (não se apresentar ao juiz durante o processo, por exemplo) ele também poderá ser preso pela posse da arma”, explicou. 

Enquanto o caso não foi definido pela Justiça, a promotora diz que o cantor terá que prestar contas de tudo o que fizer. “Para viajar para fora do país a trabalho, ele deverá demonstrar ao juiz que ele tem passagem de ida e de volta. Se, por acaso, ele não demonstrar essa real necessidade de viajar, ele não viaja”, exemplificou.

Recomendado para você


Comentários