EDITORIAS
 
Aplicativos para celular I CidadesI Ciência e SaúdeI Dá para acreditar?I EconomiaI EducaçãoI Meio ambienteI MundoI PolíticaI Tecnologia
-
     
11/09/2012 12h21 - Atualizado em 11/09/2012 15h50    
 

Caso de racismo em livro de Monteiro Lobato será discutido hoje pelo STF

 
Redação/RedeTV!
 
 
Divulgação
O Supremo Tribunal Federal (STF) discute na noite desta terça-feira (11) se o livro "Caçadas de Pedrinho", de Monteiro Lobato, será liberado para o uso na rede pública de ensino. O caso será julgado pelo ministro Luiz Fux, após uma denúncia do Instituto de Advocacia Racial (Iara) e o técnico em gestão educacional Antônio Gomes Neto. A alegação é que a obra possui elementos racistas.

>>> Você acha que o livro deve ser banido das escolas? Opine na enquete do Portal da RedeTV!


O livro foi banido das escolas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) após uma denúncia da Secretaria de Promoção da Igualdade Racional, em 2010. No recurso, lê-se: "Não há como se alegar liberdade de expressão em relação ao tema quando a leitura da obra se faz referências ao negro com estereótipos fortemente carregados de elementos racistas".

O livro "Caçadas de Pedrinho", publicado originalmente em 1933, faz parte do Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE) e foi distribuído em escolas de todo o país. Nele, a personagem Emília, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, diz "É guerra e das boas. Não vai escapar ninguém - nem Tia Anastácia, que tem carne preta". Em outro trecho, Tia Nastácia é descrita como uma "macaca de carvão".

Participam da audiência o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel.


Veja mais:
>>> Obra de Monteiro Lobato é considerada racista

PUBLICIDADE
Compartilhe:
VÍDEOS
»
 
PUBLICIDADE ANUNCIE
 
ENQUETE
Uma pesquisa do Instituto Datafolha mostrou que a organização da Copa do Mundo foi aprovada por 83% dos estrangeiros que visitaram o país. Você concorda com eles?
 
AEROPORTOS
Fique informado sobre as condições dos principais aeroportos do país.
Fonte: Climatempo