EDITORIAS
 
Aplicativos para celular I CidadesI Ciência e SaúdeI Dá para acreditar?I EconomiaI EducaçãoI Meio ambienteI MundoI PolíticaI Tecnologia
-
     
26/03/2012 18h45 - Atualizado em 26/03/2012 19h05    
 

Tropas colombianas matam 35 em novo confronto com as Farc

 
Reuters
 
 

Tropas colombianas mataram nesta segunda-feira (26) 35 rebeldes de esquerda das Farc em uma região remota da selva, informou o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, no segundo golpe ao grupo financiado por drogas em menos de uma semana.

O ataque na madrugada na província central de Meta elevou o número total de rebeldes das Farc mortos pelas forças armadas para 68, depois de um ataque na quarta-feira (21) passada que matou 33 rebeldes que descansavam na região de planícies do norte de Arauca.

"Isso mostra que nossas forças armadas continuam a sua ofensiva e não vão parar", disse Santos durante uma reunião de agentes de segurança na cidade provincial de Villavicencio.

Veja mais:

>>>Tropas colombianas matam 32 rebeldes em confronto com as Farc

>>>Soldados colômbianos matam 33 rebeldes das Farc

>>>Farc anuncia fim de sequestros e libertação de reféns

As operações fazem parte de uma nova estratégia militar para combater as guerrilhas marxistas, destruindo suas principais unidades armadas e financeiras, marcando uma mudança do foco anterior de rastrear e matar os seus líderes.

Bilhões de dólares em ajuda militar dos EUA ajudaram a Colômbia a liderar uma ofensiva militar que matou os principais líderes do grupo comunista e os empurrou ainda mais para a montanha isolada e regiões da selva.

A força de combate das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) caiu em cerca de metade para perto de 8.000 combatentes na última década e muitos dos principais comandantes do grupo e os membros fundadores estão mortos.

A nova estratégia se concentra no uso de inteligência para rastrear unidades de batalha específicas e sufocar as suas fontes de financiamento, que incluem tráfico de drogas, mineração ilegal de metais e extorsão.

O grupo anunciou no mês passado que iria abandonar a sua política de sequestro por resgate, algo que fez durante décadas, e libertaria militares e policiais reféns que mantinha em acampamentos na selva. A libertação está prevista para começar no início de abril.

As Farc, no entanto, mantêm sua força formidável e continuam atacando cidades e instalações de petróleo numa tentativa de enfraquecer setores como mineração e energia que ajudaram a economia colombiana a crescer.

Apenas uma semana atrás, o grupo matou 11 soldados em Arauca.

(Reportagem de Monica Garcia e Luis Jaime Acosta)

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados.
PUBLICIDADE
Compartilhe:
VÍDEOS
»
RedeTV News
Conheça o mesário mais antigo de SP
 
PUBLICIDADE ANUNCIE
 
ENQUETE
O Senado aprovou o projeto que volta a liberar a venda de inibidores de apetite para o consumidor. Você já fez uso desse tipo de remédio?
 
AEROPORTOS
Fique informado sobre as condições dos principais aeroportos do país.
Fonte: Climatempo