- Atualizado em

Operário tem crânio perfurado por barra de ferro e sobrevive

Agência Estado

O operário Eduardo Leite, de 24 anos, teve a cabeça perfurada por uma barra de ferro de dois metros de comprimento, na tarde de quarta-feira, 15 de agosto, enquanto trabalhava em uma obra em Botafogo, na zona sul do Rio. O operário estava agachado, no térreo, quando o pedaço de ferro caiu do quinto andar do prédio, perfurou seu capacete, entrou pela parte superior da cabeça e saiu pela região entre os olhos.

O rapaz sobreviveu e foi socorrido por bombeiros, que cortaram uma parte do vergalhão na hora e o levaram ao Hospital Miguel Couto, na Gávea (zona sul), ainda com meio metro do ferro cravado na cabeça. Ele chegou consciente e falando, foi operado durante cinco horas por três médicos e está internado no Centro de Tratamento Intensivo. Se a evolução ocorrer como previsto, ele receberá alta em uma semana.

O principal risco agora, segundo os médicos, é de que ocorra uma infecção, já que o pedaço de ferro estava sujo. Os médicos limparam a área atingida, mas não há garantia de que todas as impurezas tenham sido eliminadas.

Segundo a direção do hospital, a região cerebral afetada é responsável pelas emoções e mudanças de comportamento, mas pode ser que a vítima não apresente sequelas. A três centímetros dali fica a área do cérebro responsável pela coordenação motora. Se ela tivesse sido atingida, o operário correria o risco de ficar paraplégico. A um centímetro fica uma região responsável pela visão.

Foto: Divulgação/ Hospital Miguel Couto

Publicidade

Comentários