- Atualizado em

Protestos pelo Brasil: Passe Livre anuncia fim das manifestações

Redação RedeTV!

O ato convocado pelo Movimento Passe Livre (MPL) para a última quinta-feira (20), na av. Paulista, em São Paulo, foi marcado por cenas de intolerância e hostilidade a militantes de partidos de esquerda, como PSTU, PSOL e PCO. A 7ª manifestação contra o aumento da tarifa foi engolida por uma massa que bradava "sem partido" e "contra o governo", mas que, ironicamente, não era anarquista. Por fim, o embate ideológico entre direita e esquerda levou o MPL a anunciar o fim de novos protestos.

“No ato (... )presenciamos episódios isolados e lamentáveis de violência contra a participação de diversos grupos. (...) O MPL luta por um transporte verdadeiramente público, que sirva às necessidades da população e não ao lucro dos empresários. (...) Essa é uma defesa histórica das organizações de esquerda, e é dessa história que o MPL faz parte e é fruto. (...) Desde os primeiros protestos, essas organizações tomaram parte na mobilização. Oportunismo é tentar excluí-las da luta que construímos juntos”, repudiou em nota o movimento.

Veja mais:
>>> Protestos no Brasil são destaque em todo o mundo
>>> Protestos pelo Brasil: Ruas adotam novo grito de guerra: 'Sem partidos'

>>> Protestos com mais de 1 milhão no Brasil são destaque no exterior
>>> Protestos em SP: Prefeitura cobra universitário por depredação
>>> Protestos pelo Brasil: Brasília teve dia de embate entre polícia e manifestantes

>>> Protestos pelo Brasil: atos levam mais de 1 milhão às ruas do país; uma pessoa morre
>>> Protestos pelo Brasil: Partidos não têm vez nas redes sociais


Na manhã desta sexta-feira (21), em entrevista à rádio CBN, Douglas Beloni, representante do grupo, declarou que "o MPL não vai convocar novas manifestações. Houve uma hostilidade em relação a outros partidos por parte de manifestantes, e esses outros partidos estavam desdeo início compondo a luta contra o aumento e pela revogação".

Segundo Douglas, o movimento que se define "apartidário, mas não antipartidário" seguirá apoiando outros movimentos sociais que lutam por uma sociedade mais justa e igualitária, assim como não abandonarão a pauta do transporte coletivo. "Continuaremos lutando pela tarifa zero, colhendo assinaturas para viabilizar um projeto de lei nesse sentido", encerrou.
Publicidade

» Enviar seu comentário » Ver todos os comentários
 
Envie seu comentário.

Obs: todos os campos são obrigatórios

Nome: *  
Email:  
Comentário: *


Viu algum erro nesta notícia? Comente.

Obs: todos os campos são obrigatórios

Seu Nome: *  
Seu Email: *  
Comentário: *