De segunda a sexta, às 15h

Blog

Mais 2 são presos por participar em quadrilha de aborto

Mais duas pessoas foram presas por participação na maior quadrilha de aborto do Brasil. Ao todo, 61 pessoas foram detidas e 14 continuam foragidas.
O médico Guilherme Estrela Aranha, chefe do núcleo abortivo da Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro, foi preso na madrugada desta quarta-feira, 29, por agentes da Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) e da Coordenadoria de Informação e Inteligência Policiais (Cinpol).

Aranha foi detido quando deixava uma clínica médica, no bairro de Neves, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

Já o policial civil Agostinho Rodrigues da Silva Neto se apresentou na sede da Divisão Antissequestro (DAS), no Leblon, na zona sul da capital, onde foi cumprido o mandado de prisão expedido pela 4ª Vara Criminal da Capital.

Ação policial no Rio apreende equipamento usado pela PM

A operação conjunta das Polícias Civil e Militar em oito comunidades da Zona Norte do Rio apreendeu nesta quarta-feira, 29, um "kit antitumulto" - equipamento usado pela Polícia Militar durante protestos populares que, nas ruas da capital, ganhou o apelido de "Robocop".
A secretaria estadual de Segurança (Seseg) ainda não informou como o equipamento, de uso da PM, chegou aos criminosos. Segundo a secretaria, que divulgou imagem do kit apreendido, o equipamento é "semelhante" ao usado por policiais do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque).

Além do kit, foram apreendidos quatro fuzis, uma réplica da arma, quatro pistolas, três coletes à prova de balas e 100kg de maconha. Quatorze pessoas foram presas na ação (uma mulher e 13 homens) e um menor, apreendido.

Polícia encontra caixa eletrônico com banana de dinamite no interior de São Paulo

A Polícia Militar encontrou um caixa eletrônico com uma banana de dinamite em agência do banco Bradesco em Alumínio, cidade situada a 78 quilômetros de São Paulo. Os policiais foram chamados por volta das 4h da manhã da terça-feira (28) por funcionários do banco, que detectaram a invasão do local pelas câmeras de segurança. 

Segundo a PM, mesmo com o cordel tendo queimado, a dinamite não explodiu. Nenhum dano à maquina foi causado.

Por volta das 8h, o Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) esteve na agência e detonou o explosivo. 

A Polícia Civil de Alumínio irá investigar o caso. 

Acidente com ônibus escolar deixa 11 mortos em Ibitinga (SP)

Mais um corpo foi encontrado carbonizado no acidente com um ônibus de estudantes de Borborema, em Ibitinga, no interior de São Paulo. Segundo a prefeitura, o corpo é do estudante José Vinicius Francisco Anzolin, que morreu preso às ferragens. Com isso, sobe para 11 o número de mortos na batida, que ocorreu na noite de nesta segunda-feira (27), entre o ônibus e um caminhão de óleo vegetal.

Segundo a prefeitura, entre os mortos está a diretora de Cultura do município, Márcia Martins Carvalho Biasotto, a diretora da Escola Municipal Professora Ana Rosa, Marisa Aparecida Mansano dos Santos, e os professores Roseneide Aparecida Casetta Montera e Margarete Aparecida Lucas dos Santos.

A prefeitura informou também os nomes dos outros seis adolescentes que morreram: Angelo Mateus Geraldo, Gabriela Cristina da Silva Rodrigues, Nicanor de Freitas Junior, Tainá Brenda Ferreira, Thayro Matheus da Silva Polimeno e Felipe Gonçalves Rossi.

A Santa Casa de Ibitinga recebeu oito adolescentes, sendo que três estão em estado grave. Não foram divulgados detalhes sobre esses pacientes. Outro número não informado de estudantes foi levado ao Hospital de Borborema.

Segundo a prefeitura, a cidade, de cerca de 15 mil habitantes, vive um clima de comoção. O comércio decidiu fechar as portas em solidariedade às famílias das vítimas e as escolas suspenderam as atividades. Bandeiras foram colocadas a meio-mastro. A prefeitura de Borborema decretou luto oficial de três dias.

O ônibus, que levava adolescentes da Escola Estadual Dom Gastão Liberal Pinto, bateu no caminhão de óleo vegetal às 23h30 de ontem (27), na Rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), altura do quilômetro 368, em Ibitinga. Com a colisão, o caminhão pegou fogo.

De acordo com a polícia, os alunos da cidade de Borborema voltavam de São Paulo, onde visitaram uma exposição da Bienal. Três ônibus voltavam em comboio do passeio e, segundo as autoridades, dois veículos voltaram por um caminho diferente do ônibus que se acidentou, passando por Itápolis.

De acordo com a administração municipal, o velório coletivo será no Ginásio de Esportes da cidade, em horário a ser definido.

Em SP, homicídio sobe 6,5%; latrocínio também tem alta

Os homicídios apresentaram comportamento diferente na capital e no Estado. Na estatística somada de todas as cidades paulistas, o número de assassinatos caiu 11,9%, saindo de 379 relatos, em setembro do ano passado, para 374 em setembro de 2014. A capital, porém, destoou: houve seis casos a mais na comparação dos meses de setembro: em 2013, foram 92 e, em 2014, 98 (aumento de 6,5%).
Casos de roubo seguido de morte (latrocínio) tiveram a segunda alta seguida na capital e no Estado. Em setembro de 2013, 26 pessoas morreram após um roubo. No mesmo período de 2014 foram 31: alta de 19,2%. Na capital, a estatística saiu de 8 casos, no ano passado, para 13 neste ano - 62,5% de crescimento.

Para o cientista político Guaracy Mingardi, há uma burocratização das polícias no País, o que a afasta do trabalho ostensivo e investigativo nas ruas. "O número de investigações em casos de roubo é uma porcentagem muito pequena. O trabalho policial nos últimos anos foi sendo burocratizado gradativamente e você preenche mais papel e tem menos gente na rua investigando", disse.

Na visão do ex-comandante da Polícia Militar de São Paulo coronel da reserva Carlos Alberto Camargo, uma parte do trabalho para reverter a realidade de insegurança cabe à corporação, a partir da análises estatísticas. "É preciso rapidez e inteligência para acompanhar a migração do crime. O bandido não muda de vida só porque a polícia está trabalhando. Ele muda de hora e local que pratica o crime", disse Camargo.

O ex-comandante reforçou, por outro lado, que também cabe à Polícia Civil e ao Poder Judiciário o trabalho de punição que serve de exemplo para que se desestimule a prática criminosa. "A certeza da impunidade é igual a estímulo para o crime. Estado que não pune está dizendo que pode roubar", acrescentou o policial da reserva.

Em nota, a Secretaria da Segurança destacou que o Estado é um dos mais eficazes na política pública de segurança. "São Paulo continua sendo um dos Estados mais seguros do País", informou.

Veículos

Quando se fala de veículos, os números de roubos são melhores: houve diminuição no Estado (9,4%) e na capital (10,5%), na comparação entre os meses de setembro. Já o furto aumentou 3,5% no Estado e 7,3% na capital.

Número de mortos pela PM em SP cresce 150%

Entre julho e setembro deste ano, 80 pessoas foram mortas em confronto com a Polícia Militar na capital paulista, de acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP). Esse número representa um aumento de 150% em comparação com o mesmo período de 2013, quando 32 ocorrências foram registradas.
Segundo a PM, as mortes decorrentes de intervenção policial acontecem, em geral, em casos de crime contra o patrimônio. "Nesses tipos de ocorrência, a opção pelo confronto nunca é da polícia, mas do infrator", aponta a corporação como outra razão para o crescimento.

Para o diretor adjunto da Conectas Direitos Humanos, Marcos Fuchs, há mais confronto entre polícia e criminosos. "O policiamento voltou à forma como era feito antes da Resolução nº5, que tinha por objetivo diminuir os casos de resistência seguida de morte, protegendo o local do crime", afirma.

 

Jovem morre baleado em baile funk na zona leste de SP

Um jovem foi morto e outro ficou ferido após serem baleados em um baile funk na Rua Cachoeira da Felicidade, no Conjunto Habitacional Inácio Monteiro, na zona leste de São Paulo. O caso aconteceu na madrugada desta segunda-feira, 27, por volta da 1h40.
A Polícia Militar ainda não tem informações sobre os atiradores, que conseguiram fugir. As vítimas participavam da festa, que acontecia no meio da rua, quando foram alvejadas.

Um dos jovens foi encaminhado ao Hospital Santa Marcelina, também na zona leste, mas não resistiu e morreu. O outro ferido foi encaminhado ao Hospital Geral de Guaianases, onde, segundo a PM, continua internado em estado grave. Ninguém foi detido.

Outro caso

Há um mês, a morte de dois jovens na saída de um baile funk, em Cidade Tiradentes, na zona leste, desencadeou uma série de protestos dos moradores da região. Três ônibus foram incendiados e outro foi depredado na Avenida dos Metalúrgicos. Depois, cerca de 70 pessoas tentaram invadir o 54º Distrito Policial (Cidade Tiradentes) e entraram em confronto com a Polícia Civil.

Na mesma semana, outros três carros foram incendiados no pátio do 54º DP. Na época, os policiais afirmaram que não havia relação entre as duas ocorrências.

1 2 3 4 5 6 7 8 9