De segunda a sexta, às 15h

Blog

Menina morre após inalar remédio errado no RS

Uma adolescente morreu nesta segunda-feira (14) após fazer uso do remédio incorreto durante uma crise de asma, em Guaíba no Rio Grande do Sul. Andriza Oliveira da Silva, de 14 anos, teria que inalar um broncodilatador, mas acabou usando um colírio para glaucoma.

O medicamento foi comprado pela irmã mais nova de Andriza, que foi até a farmácia com a receita e um bilhete com o nome da medicação. Porém, a menina voltou para casa com um remédio diferente.

O uso do colírio causou o efeito contrário e resultou na morte da garota. A certidão de óbito diz que ela foi vítima de um edema pulmonar agudo, o que significa excesso de líquido nos pulmões. Mas não esclarece se o uso da medicação errada pode ter influenciado.

A família registrou um boletim de ocorrência. A delegada responsável pelo caso ja conversou informalmente com o dono da farmácia e vai ouvir a vendedora e a farmacêutica.

Menino encontrado morto no RS é sepultado em Santa Maria

O menino Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, encontrado morto em um matagal em Frederico Westphalen, norte do Rio Grande do Sul, foi sepultado na manhã desta quarta-feira, 16, no cemitério de Santa Maria, região central do Estado. O enterro foi acompanhado por seus familiares do lado materno. A avó do garoto, Jussara Uglione, de 73 anos, não acompanhou a cerimônia. Em estado de choque, ela foi hospitalizada e permanece em observação.
Segundo as investigações policiais, o garoto teria sido morto com uma injeção letal aplicada pela madrasta, a enfermeira Graciele Ugulini. A informação foi dada pela assistente social Edelvânia Wirganovicz, que teria auxiliado Graciele e enterrar o corpo em um matagal nas proximidades de Frederico Westphalen, a 80 quilômetros de Três passos, onde o menino morava com o pai e a madrasta.

Caso

O sumiço de Bernardo foi comunicado à polícia pelo pai, o médico Leandro Boldrini, de 38 anos, no domingo, 6 de abril, quando ele teria percebido que o menino não voltava depois de passar o fim de semana na casa de vizinhos. Pelos dez dias seguintes os moradores da cidade de 24 mil habitantes, localizada a 470 quilômetros de Porto Alegre, se mobilizaram em campanhas pela localização do garoto.

A investigação policial encontrou contradições entre os depoimentos dos familiares e descobriu que, em 4 de abril, dia em que Bernardo teria saído de casa, a madrasta foi multada por excesso de velocidade em uma viagem a Frederico Westphalen. Policiais rodoviários informaram que a criança estava no automóvel na ocasião.

Posteriormente, a polícia localizou Edelvânia, amiga da madrasta, que, depois de algumas negativas, teria indicado a localização do corpo.

Na noite de segunda-feira, os policiais encontraram o menino morto, enterrado em um saco de plástico em um matagal próximo de um riacho em Frederico Westphalen. Também cumpriram mandados de prisão temporária contra o médico, a madrasta e a amiga da madrasta, que foram levados a presídios de outras cidades por razões de segurança.

Homem é esfaqueado após discussão sobre futebol no Rio

Um homem foi esfaqueado na noite dessa terça-feira, 15, após uma discussão sobre o resultado do Campeonato Carioca, que terminou com o Flamengo campeão após um gol impedido. O crime aconteceu na Rua das Flores, na Tijuca, zona norte do Rio, e a vítima foi levada para o Hospital do Andaraí, no bairro de mesmo nome, também na zona norte.
O flamenguista Cláudio Eduardo Barradas Camilo, de 40 anos, cobrava uma dívida de R$ 50 do vascaíno Wilton Lontra Xavier, de 46 anos. Xavier se negou a pagar porque o gol foi irregular. Durante a discussão, Camilo esfaqueou o amigo no abdômen e no ombro. Já no Hospital do Andaraí, ele passou por uma cirurgia na terça e permanece estável, sem previsão de alta.

Policiais do 6º Batalhão (Tijuca) foram chamados por pessoas que passavam pelo local e conseguiram conter a confusão. Segundo a Polícia Militar, outros dois homens envolvidos na discussão fugiram. Camilo foi levado para a 19ª Delegacia de Polícia (Tijuca) e a faca usada no crime foi apreendida. Ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio.

Delegada diz ter certeza que pai participou da morte do menino Bernardo

A delegada Caroline Bamberg Machado manifestou certeza de que o pai, a madrasta e uma outra mulher estão envolvidos com a morte do menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, em crime que comoveu o Rio Grande do Sul. O garoto desapareceu de casa, em Três Passos, no dia 4 de abril. O corpo foi encontrado em Frederico Westphalen, a 80 quilômetros de distância, na noite de ontem. O médico Leandro Boldrini, pai, a enfermeira Graciele Ugulini, madrasta, e uma amiga dela, de nome ainda não divulgado, foram presos preventivamente.
"Eu não tenho dúvida da participação deles, o que precisamos e o que é importante para conseguir uma condenação é identificar o que cada um fez, qual é a parcela de culpa de cada um", disse a delegada, em entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira. A polícia desconfiou dos depoimentos contraditórios das duas mulheres e conseguiu pistas do garoto. O corpo foi localizado enterrado envolto em um saco plástico em um matagal próximo de um riacho. A mãe de Bernardo morreu há quatro anos. Bernardo será sepultado ao lado dela, em Santa Maria.

Motorista alcoolizado atropela e mata idoso em SP

Um motorista alcoolizado foi preso após atropelar e matar um idoso de 86 anos e fugir sem prestar socorro, na noite desta segunda-feira, 14, em Herculândia, no interior paulista. O vendedor Gílson Apolinário Rodrigues, de 33 anos, foi localizado e detido pela polícia na madrugada desta terça, 15, após confessar ter consumido bebidas alcoólicas e fugido sem socorrer a vítima.
O acidente aconteceu por volta das 21 horas. O aposentado Francisco Alves Sacramento, 86, voltava para casa, caminhando próximo da calçada, quando foi atingido pelo carro de Gílson. "Meu avô voltava para casa, que ficava na esquina de onde ele foi atropelado. Testemunhas nos disseram que o carro estava a mais ou menos 100 km/h e que o motorista não tem carteira de habilitação", contou Roseli Brito, neta de Sacramento. O aposentado foi levado ao hospital, mas não resistiu e morreu na madrugada desta terça.

Vizinhos chamaram a PM depois que Rodrigues fugiu sem prestar socorro. Segundo o sargento Márcio Antônio Britto, o vendedor foi preso em sua casa, a três quadras do local do acidente, no centro de Herculândia. Ao ser detido, confessou que antes do acidente havia bebido com amigos em um bar. Segundo o Boletim de Ocorrência, o vendedor, que estava "cambaleante, com voz pastosa e olhos vermelhos", não soube explicar por que fugiu sem socorrer a vítima. Ao ser submetido ao bafômetro, ficou constatado que ele estava com índice de 1.04 l/g, três vezes mais que o volume mínimo para ser detido.

Mãe, filho e vizinho são mortos em chacina na Grande SP

Três pessoas foram mortas com tiros na cabeça na noite desta segunda-feira, 14, na altura do número 80 da Rua Antônio Conselheiro, em Jandira, na Grande São Paulo. Mãe e filho estão entre as vítimas.
Segundo a Polícia Civil, Alex Rodrigues dos Santos, de 25 anos, foi encontrado morto ao lado de um carro que estaria dirigindo antes de ser assassinado, um Volkswagen do modelo Fox da cor cinza chumbo.

No banco do passageiro, a mãe dele, Dilma Aparecida Rodrigues Sampaio, de 45 anos, foi encontrada ainda com vida pelos policiais militares do 20°Batalhão e encaminhada ao Pronto Socorro de Jandira, mas não resistiu aos ferimentos.

O vizinho da família, Wellington de Freitas Soares, de 21 anos, que estava no banco de trás do veículo, também foi encontrado morto.

A Polícia Civil não informou quantos disparos atingiram as vítimas, mas disse que cada uma tinha ao menos um ferimento por disparo de arma de fogo na cabeça. Dois projéteis de revólver calibre 38 foram apreendidos.

O caso foi registrado na Delegacia Central de Jandira, mas será investigado pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Carapicuíba, também na Região Metropolitana de São Paulo.

40 corpos de bebês são achados em hospital no Rio

O Ministério Público Estadual quer que o Hospital Universitário Pedro Ernesto, ligado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), identifique por exame de DNA os corpos de 15 bebês, que estão abandonados no necrotério da instituição, alguns há mais de 4 anos. Ao todo, foram encontrados 40 corpos de recém-nascidos amontoados ali. O diretor do hospital, Rodolfo Nunes, reconheceu a falha e informou que abrirá sindicância para corrigir os problemas.
O caso foi descoberto por acaso. Uma mulher deu à luz em junho de 2012 um bebê prematuro de 6 meses, e que pesava 800 gramas. Usuária de crack, ela abandonou o menino no hospital. A promotoria da Infância e Juventude foi comunicada, como é de praxe. A criança morreu em agosto e a promotoria enviou ofício, pedindo informações sobre o sepultamento do bebê, para encerrar o caso. Não havia documento, porque o menino continuava no necrotério do hospital.

A promotora Ana Cristina Macedo vistoriou o necrotério. Encontrou 40 corpos de bebês, 15 deles sem identificação nenhuma. "Eram corpos amontoados, mal armazenados. Uma situação estarrecedora, difícil de contar", disse em entrevista ao Fantástico.

Rodolfo Nunes disse à reportagem que o corpo do bebê havia sido encontrado e seria sepultado. "Há um problema social de as pessoas não buscarem os corpos dos seus filhos que evoluíram mal e vieram a falecer. Não se tem prazo máximo para sepultamento e você pode ter a expectativa de que o familiar vai vir pegar o corpo", afirmou.

Além de exigir a identificação dos bebês por DNA, o MP pediu a lista com nome e endereço de todos os pais e cobrou que as crianças recebam "sepultamento digno".

1 2 3 4 5