De segunda a sexta, às 15h

Blog

Criminosos invadem casa e fazem refém na zona leste de SP

Dois criminosos fizeram uma família refém dentro de uma casa na região de Aricanduva, zona leste da capital paulista, na manhã desta quinta-feira, 18. Os dois foram presos pela Polícia Militar.

Segundo a PM, a dupla armada invadiu a casa, no bairro Vila Rica, por volta das 5h50 desta manhã. Os criminosos iriam assaltar a residência, mas acabaram fazendo os moradores reféns, informa a PM.

O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar foi acionado para negociar a liberação da vítima com os assaltantes. Os criminosos exigiram a presença da imprensa para conversar com os oficiais.

Por volta das 8h, os bandidos resolveram se entregar. A dupla deixou as armas sobre o teto do carro que estava estacionado na garagem da casa e, vestidos com colete à prova de balas, saíram com as mãos para o alto. Ninguém ficou ferido.

PF desarticula quadrilha de tráfico de drogas que atuava no Sul

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 18, a operação R5, com o objetivo desarticular uma organização criminosa que distribuía cocaína e crack no interior do Rio Grande do Sul. O principal foco de atuação dos traficantes eram as cidades Santa Maria, Rio Grande, Pelotas, Santa Vitória do Palmar e Chuí.

Foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão e 33 mandados de prisão, sendo 28 prisões preventivas, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. "Trata-se de uma quadrilha que vinha atuando há muito tempo e era bastante estruturada. Até o momento, foram presas nove pessoas no Rio Grande do Sul e uma em Santa Catarina", afirmou o coordenador da operação e delegado da Polícia Federal em Chuí, Igor Gervini.

Segundo ele, a operação, que contou com a participação de 140 policiais federais e 50 militares, é resultado de uma investigação que durou quase seis meses. Além das prisões, a Justiça Estadual determinou o sequestro de 14 veículos que estavam em poder da organização criminosa. Uma parte desta organização atuava também no tráfico de armas. De acordo com Gervini, não foi identificada a participação de agentes públicos na quadrilha.

O nome da Operação, R5, faz referência a uma rua na cidade de Santa Vitória do Palmar, onde as investigações se iniciaram após verificada a venda de entorpecentes.

Pai que esqueceu criança no carro paga R$ 725 e é liberado

O pai da criança de 2 anos que foi encontrada morta em um carro em São Bernardo do Campo, no ABC, disse a policiais militares que esqueceu a filha no veículo. O pai, funcionário público Rodrigo Machado, foi autuado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e liberado após pagamento de fiança de R$ 725.


Aos policiais, Machado contou que havia saído do trabalho no horário de almoço para buscar a filha na casa da avó e, depois, deixá-la na escola. No entanto, ele acabou esquecendo da criança, que estava dormindo na cadeirinha, no banco traseiro do carro, e foi direto para o serviço.

Durante o expediente, o veículo ficou estacionado na Rua 23 de Maio, na região do Rudge Ramos, próximo ao prédio da Secretaria de Finanças de São Bernardo, onde o funcionário público trabalha, e da escola de Educação Infantil Integração, onde a filha estudava.

Por volta das 18h, Machado foi até a escola da menina para buscá-la. Segundo a Polícia Civil, ao chegar lá, foi informado pelos funcionários que não havia deixado a filha no colégio naquele dia. Só então teria se dado conta que a havia esquecido no carro.

A Polícia Militar foi acionada para socorrer a criança, mas a menina já estava morta. À noite, os pais prestaram depoimento no 2º Distrito Policial (Rudge Ramos) de São Bernardo. Em estado de choque, o funcionário público precisou ser levado para o hospital.

Suspeitos batem carro durante perseguição policial em São Paulo

Um carro se chocou contra o portão de um prédio na Avenida Fagundes Filho, na região do Jabaquara, na zona sul da capital paulista, durante uma perseguição policial na manhã desta quarta-feira, 17. Segundo a Polícia Militar, o veículo havia sido roubado pelos criminosos momentos antes do acidente. Uma pessoa foi detida e outra ficou ferida.

O caso aconteceu por volta das 5 horas. De acordo com a corporação, o proprietário do carro havia sido alvo de um assalto e, após ser liberado pelos bandidos, foi até uma Base Comunitária da PM, onde informou os dados do veículo.

Ao localizarem o carro, os policiais passaram a fazer o acompanhamento, diz a PM. Os suspeitos, no entanto, teriam perdido o controle da direção e se envolvido no acidente na Avenida Fagundes Filho, próximo à Avenida Professor Abraão de Morais.

Ferido, um dos ocupantes do carro foi encaminhado ao Hospital Municipal do Jabaquara, também na zona sul, mas passa bem. Outro ocupante foi detido pelos policiais. O caso foi registrado no 35º Distrito Policial (Jabaquara).

Juiz que prendeu funcionários da TAM é afastado

O juiz Marcelo Testa Baldochi foi afastado de suas funções pelo Tribunal de Justiça do Maranhão, na manhã desta quarta-feira, 17. O magistrado protagonizou uma cena polêmica no aeroporto de Imperatriz, no dia 6 de dezembro, quando deu voz de prisão a três agentes da companhia aérea TAM após chegar atrasado para embarcar em voo com destino para São Paulo.

A apuração do caso foi feita pelo desembargador Bayama Araújo. O membro da alta corte do judiciário maranhense apresentou relatório e pediu instauração de procedimento administrativo disciplinar com imediato afastamento das funções judiciais.

Segundo Bayma, a decisão se deu por diversos motivos. A arbitrariedade das prisões não foram os únicos. Várias instâncias, como a Ordem dos Advogados do Brasil e a Associação dos Magistrados, repudiaram a atitude que ganhou repercussão nacional.

"Jamais tinha sido humilhado dessa forma. Ser chamado de calhorda, de vagabundo, de pilantra", comentou o despachante de voo Argemiro Augusto.

Segundo a investigação da polícia, as câmeras do aeroporto mostram o momento da chegada do juiz Marcelo Baldochi ao balcão da companhia aérea, às 20h37. Os funcionários informam que o check-in do voo para Ribeirão Preto, em São Paulo, havia sido encerrado quatro minutos antes. O juiz então reclama: "Tem que aprender a respeitar o consumidor", diz.

Irritado, dá voz de prisão aos atendentes. "Está preso em flagrante", afirma. Imagens de celular de outro passageiro mostram quando policiais levaram os funcionários para a delegacia.

Segundo o CNJ, fora este processo, existem outros seis processos contra o juiz Baldochi que foram arquivados. Esta semana, a Ordem dos Advogados do Brasil entrou com uma representação contra o juiz por causa de denúncias como humilhação e tentativas de dificultar o trabalho dos advogados na região. "Não dá para somar. As reclamações são muitas", revela o presidente da OAB de Imperatriz Malaquias Neves.

"Tudo aí são antecedentes e talvez tenha outros casos que possibilitem, que nos obriguem a tomar providências legais com a abertura de novas investigações", afirma o desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão Antonio Bayama Araújo.

Uma delas envolve o tabelião Robson Cordeiro, que recebeu uma ordem de prisão escrita à mão pelo juiz Marcelo Baldochi dias antes do episódio no Aeroporto de Imperatriz. Ele conta que se negou a entregar de graça a cópia de um documento porque o papel estava sem o selo de gratuidade impresso. "Eu sei que ele é um juiz, a gente tem que cumprir as determinações dele, mas não arbitrariamente dessa forma", diz o tabelião.

Robson foi liberado por falta de provas, mas diz que já encaminhou uma queixa ao Conselho Nacional de Justiça e vai processar o juiz por danos morais.A testemunha dele contra Baldochi é outro juiz. "Eu vou apenas narrar o que eu tomei conhecimento. Não podemos nos furtar a falar a verdade, ainda que seja contra um juiz que é do mesmo tribunal que eu pertenço", conta o juiz Adolfo Pires.

Tenente é preso por guardar drogas em quartel da PM no interior de SP

O tenente Márcio Lopes foi preso por colegas da Polícia Militar na tarde desta terça-feira, dia 16, após ser flagrado escondendo drogas em seu armário no batalhão da PM, em Sorocaba (SP). Além de porções de maconha e cocaína, os policiais encontraram com o tenente um revólver calibre 22 com a numeração raspada.

A prisão foi divulgada nesta quarta-feira (17), após o tenente ser ouvido no inquérito policial militar e encaminhado para o presídio Romão Gomes, na zona norte de São Paulo.

De acordo com o tenente-coronel Marcos Ramos, comandante do batalhão em que o tenente servia, Lopes vinha sendo investigado havia dois meses pela corregedoria da PM com base em denúncias dos próprios colegas que não compactuavam com as atitudes do policial.

As drogas e a arma foram encontradas durante uma busca autorizada pelo comando. O tenente vai responder a processo administrativo e pode ser expulso da polícia. Ele ainda responderá a inquéritos abertos pela própria Polícia Militar e pela Polícia Civil, que apurarão os crimes de tráfico de drogas e porte ilegal de armas. O tenente, que estava na PM desde 2005, não tinha antecedentes.

Em Itatiba, na região de Campinas, as Polícias Civil e Militar abriram inquéritos para apurar uma abordagem ao soldado da Polícia Rodoviária Cléster Batista Mathias de Oliveira por dois policiais militares, na noite de segunda-feira, dia 15.

Segundo a PM, o policial, que estava em seu carro com a mulher e o filho, não obedeceu a um sinal de parada e teria descido do carro com a arma em punho. Ele foi baleado na perna e, mesmo após ter se identificado como policial, foi levado a um hospital no camburão, local reservado a suspeitos.

Na versão do soldado, ele não reconheceu a viatura, que estava com os faróis apagados, e achou que seria vítima de um atentado.

Operação prende suspeitos de assaltar fábrica de elerônicos

Suspeitos de assaltarem a fábrica da Samsung em Campinas (SP) foram presos nesta terça-feira, 16, nas cidades de São Paulo, Osasco (SP), São Roque (SP) e Taboão da Serra (SP). Cerca de cem policiais participam da "Operação Android", que visa cumprir 17 mandados de busca e apreensão e 8 de prisão.

O assalto ocorreu em julho, quando cerca de 20 homens armados invadiram a unidade, na Rodovia Dom Pedro I (SP-065), após renderem vigias e funcionários. Usando sete caminhões, eles roubaram 40 mil aparelhos eletrônicos - como tablets e celulares - avaliados pela polícia em R$ 80 milhões. Já a companhia informou na época um prejuízo de R$ 14 milhões.

A operação é desencadeada pela Polícia Civil de Campinas tendo à frente a DIG (Delegacia de Investigações Gerais). Os suspeitos são levados para o local onde prestarão depoimento e depois serão levados para a cadeia. Imagens do circuito de segurança da fábrica ajudaram os policiais a identificarem os integrantes da quadrilha. Dois deles foram localizados com armas e um quilo de cocaína na região do Jaguaré, na capital paulista.

Para entrar na Samsung, no início da madrugada de 7 de julho, primeiro os assaltantes pararam uma Van que transportava funcionários da empresa. Eles então roubaram os crachás e as roupas das vítimas e, assim que entraram na unidade, foram rendendo vigias e outros trabalhadores. A carga roubada começou a aparecer semanas depois em lojas do Paraguai, onde era possível comprar smartphones que valem quase R$ 3 mil cada.

Um consumidor adquiriu um desses aparelhos e não conseguiu habilitar no Brasil, ocasião em que procurou ajuda técnica e descobriu que era roubado. Depois disso um trabalho da polícia brasileira com o apoio da Justiça Paraguaia apreendeu, em Cidade Del Este, outros equipamentos levados da Samsung, o que acelerou a identificação dos suspeitos pelo assalto.

1 2 3 4 5 6