De segunda a sexta, às 15h

Blog

Suspeita de sequestrar bebê é presa em Campo Grande

A mulher suspeita de sequestrar um bebê de 17 dias em Campo Grande, na zona oeste, na última terça-feira, 26, foi presa por policiais da 35ª Delegacia de Polícia (Campo Grande). Leandra Aleluia Leal se apresentou à mãe de Kayzo, Carolaine Augusto de Souza, de 17 anos, como agente de talentos e teria oferecido R$ 150 para a participação do bebê em um programa de televisão.
Na quarta-feira, 27, o bebê foi encontrado em uma casa em Santa Cruz, na zona oeste. No mesmo dia, a filha de Leandra, de 16 anos, que também participou da ação foi detida em Angra dos Reis, na Costa Verde.

Em depoimento, Carolaine disse que Leandra insistiu para que as duas se encontrassem. Mesmo desconfiada da proposta, a adolescente foi até o local indicado acompanhada pela cunhada. Lá, ela disse que passou mal, foi levada para um bar e deu o filho para que Leandra o segurasse.

A suspeita teria sequestrado o bebê porque teria abortado há pouco tempo e fingiria que Kayzo era seu filho.

Idosa de 77 anos reage a assalto e mata criminoso no RS

Na noite do último sábado (30), um criminoso foi morto a tiros por uma idosa de 77 anos enquanto tentava assaltar seu estabelecimento no bairro Navegantes, em São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul.

O caso aconteceu por volta das 21h30, quando o homem armado entrou na 'Padaria da Vovó' e anunciou o assalto. Nervosa com as constantes tentativas de roubo, a idosa sacou um revólver calibre 38 e disparou duas vezes contra o criminoso. 

Devido a problemas cardíacos, a mulher entrou em choque com a situação e teve que ser levada a hospital. Ela passou a noite no pronto-socorro e foi liberada na manhã deste domingo.

Com um tiro no pescoço e outro no braço, Jhonatan Silveira Ferreira, de 24 anos, morreu no local. Segundo o jornal "Zero Hora",  o assaltante não tinha antecedentes, mas, segundo informações preliminares da Polícia Civil, ele seria usuário de drogas.

A procedência do revólver utilizado pela idosa será investigada e, caso não tenha registro, a mulher poderá responder por porte ilegal de arma.

Polonês preso no Rio era procurado pela Interpol

O polonês preso neste domingo, 31, por policiais do 7º Batalhão (São Gonçalo, na região metropolitana) foi identificado como Jan Jozef Galas Slowakiewicz, de 42 anos. Chefe do tráfico da favela das Almas, em São Gonçalo, ele era procurado pela Interpol por tráfico internacional de drogas.
Galas chegou ao Brasil em 2011 e há dois anos liderava o tráfico local, comandado pela facção Amigos dos Amigos (ADA), a mesma que controlava o tráfico de drogas da favela da Rocinha, na zona sul do Rio. Ex-militar, ele atuava como armeiro na favela das Almas, sendo o responsável pela manutenção das armas dos traficantes.

Antes de ingressar no Brasil, Galas já havia cometido crimes de sequestro, roubo, extorsão, além de tráfico internacional de drogas. No País, será indiciado por associação para o tráfico, tráfico de drogas e porte de arma de fogo de uso restrito. Na casa dele foram encontrados um fuzil 762, uma carabina, cápsulas de cocaína e material para refino e venda da droga. O estrangeiro vivia com duas mulheres e uma deles estava grávida de cinco meses.

À polícia, Galas afirmou que veio para o Brasil como turista, gostou do País e das mulheres e resolveu ficar. Desde que o visto de turista venceu (90 dias, prorrogáveis pelo mesmo prazo), o ex-militar estava ilegal no País.

Depois de cumprir a pena, que pode chegar a 30 anos de prisão, ele será deportado, explicou o delegado-adjunto da 74ª DP (Alcântara), em São Gonçalo, José Paulo Pires, responsável pelo caso.

Versões

No ato da prisão, o estrangeiro disse se chamar Rikardo Talinowski, de 40 anos. Ele disse ser ex-militar da Ucrânia e morar no Brasil há cerca de quatro anos, trabalhando como comerciante. Ao ser encaminhado para a 74ª DP, mudou a versão.

Segundo os policiais, ele afirmou se chamar Stanislaw Galas, e que seria polonês, com 41 anos. No depoimento, ele disse morar na favela há cerca de 11 meses e, por ser ex-militar, ajudava na manutenção das armas dos traficantes.

1